Blog

Nutrição e saúde bucal

Existe uma forte conexão entre os alimentos que as crianças ingerem e a saúde bucal. Afinal, quem nunca ouviu a máxima: “a saúde começa pela boca”? 

A literatura científica tem indicado que a nutrição tem papel relevante na promoção da saúde bucal e na prevenção de agravos, visto que, entre outros fatores, sabemos que práticas alimentares adequadas durante a infância constituem fator essencial para o desenvolvimento anatômico e funcional da cavidade bucal e demais estruturas faciais em condições de normalidade. 

Entre os agravos à saúde bucal no público infantil, destaca-se a cárie dentária, que continua afetando bebês, pré-escolares e escolares, podendo levar a dor, dificuldades de mastigação, problemas na fala, distúrbios gastrointestinais e até problemas psicológicos. Em casos graves, o tratamento pode exigir anestesia geral e até internação hospitalar.
O desenvolvimento e a funcionalidade em condições normais dos músculos bucofaciais dependem de características herdadas e estímulos funcionais adequados, como o aleitamento materno. Estudos mostraram que o aleitamento é um fator primordial no preparo e aprimoramento da condição neuromuscular das estruturas da face e cavidade bucal. O uso precoce de mamadeiras, por outro lado, juntamente com a chupeta, apresenta associação com condições patológicas como mordida aberta, protusão acentuada de alguns dentes e falta de vedação labial.

O consumo frequente de determinados carboidratos representa risco para a ocorrência da carie dentária em crianças. A sacarose é considerada o mais cariogênico de todos os carboidratos. A introdução de sacarose já no primeiro ano de vida do bebê, período no qual aparecendo os primeiros dentes, permite a implantação e colonização das novas superfícies dentárias por bactérias cariogênicas.

O processo de refinamento e industrialização, de maneira geral, torna os carboidratos mais susceptíveis à fermentação por micro-organismos cariogênicos. Portanto, alimentos refinados que contenham amido, como pães ou biscoitos, são potencialmente mais cariogênicos em relação a carboidratos não refinados. O mel também é contraindicado no primeiro ano de vida do ponto de vista da saúde bucal, devido ao fato de ser metabolizado por bactérias cariogênicas.

Uma alimentação saudável contribui para o bem-estar geral, inclusive para saúde bucal, pois há vários nutrientes presentes em alimentos que são capazes de conservar e manter os dentes fortes e saudáveis. O estímulo ao aleitamento materno, a introdução tardia da sacarose, de preferência após os 12 meses de vida, assim como a racionalização do seu consumo, manter intervalos regulares entre as refeições permitindo o retorno do pH à neutralidade, são orientações importantes para a prevenção da cárie.

por Raquel Claro – nutricionista

​​

 

Scroll Up