Blog

Aleitamento materno

Agosto foi eleito o mês Mundial da Amamentação. Amamentar é algo sonhado e idealizado pelas mães. O ato, apesar de parecer instintivo, exige preparação e paciência para não impulsionar o desmame precoce, ou seja, quando o bebê largo o peito antes dos seis meses. Cabe ressaltar que mesmo com a introdução alimentar, o leite materno melhora o sistema imunológico, auxilia na nutrição e ganho de peso e tem grande importância no aumento do vínculo entre mãe e filho.

Sendo assim, destacamos algumas dicas sobre amamentação.

  • PREPARE-SE DURANTE A GESTAÇÃO

O aleitamento não é algo que acontece instintivamente após o parto. É um desafio e as mulheres precisam se preparar e entender o manejo clínico de amamentar. Tem que aprender como esvaziar a mama, as posições (tanto da mãe quanto do bebê), como cuidar da mama para evitar fissuras, mastite, leite empedrado, etc. Atualmente, existem vários cursos online, sites e blogs dedicados ao assunto, além de livros.

Mãe, não ache que será um processo fácil: ” Ah é só colocar no peito e pronto!”

Será necessário auto conhecimento, doação, disposição e resiliência. Amamentar é um aprendizado diário para mãe e bebê.

  • BEBA BASTANTE ÁGUA, ALIMENTE-SE BEM E DESCANSE

Quanto mais o bebê mamar, maior será sua produção de leite. Peito é fábrica e não estoque. Por isso, LIVRE DEMANDA! Para que se tenha uma boa produção de leite materno ingerir bastante água (mínimo de 4 litros por dia) e alimentar-se bem. Alimentação colorida e variada, rica em legumes, verduras, frutas e proteínas.

Também é fundamental que a mãe descanse. Sabemos que pode ser difícil, mas: bebê dorme, mamãe também dorme!

  • A PEGA CERTA DO SEU BEBÊ

É fisiológico, é natural, mas a mãe precisa ser orientada. Um bebê que pega bem estimula mais a produção. Se a pega não for correta, a mãe pode desenvolver fissuras, mastite, dor, medo de amamentar. Se isso não for cuidado, eu bebê vai mamar menos, seu medo de sentir dor vai aumentar e consequentemente o desmame precoce pode ocorrer.

  • ACREDITE EM VOCÊ

A autoestima da mãe é o principal combustível para obter sucesso na amamentação. Acredite que você é capaz de produzir leite e que o seu leite é o melhor para o seu filho. O sugar do bebê e o bem estar da mãe ajuda na liberação da ocitocina (hormônio que auxilia no aumento da produção de leite materno). Os primeiros 30 dias são um caos para todas nós, mas depois a amamentação é apaixonante.

  • NEM TODO CHORO É FOME

Nem sempre o bebê chora porque está com fome. Pode ser frio, calor, excesso de luz, de barulho, tudo é novo para ele. Não existe leite fraco, seu leite é o alimento perfeito para o seu bebê. Lembre-se que o estômago do bebê é pequeno e ele vai mamar em pequenos intervalos de tempo.

Bebê chora! Chora porque quer aconchego, seja no colo, no peito, quer AMOR EM LIVRE DEMANDA!

  • APOIO DO COMPANHEIRO E DA FAMÍLIA

Se seu companheiro (a) apoia a amamentação o sucesso dela aumenta e muito. Se a avó, a tia, a madrinha e quem mais puder, estiver por perto melhor ainda. Seja para colocar o bebê para arrotar, seja para levar água para a mãe, seja para fazer a comida, lavar a roupinha, deixar a mãe descansar. Amamentação desgasta, a mãe precisa de carinho,  ajuda, aconchego, amparo.

  • EVITE “EQUIPAMENTOS” QUE CONFUNDAM O BEBÊ

Bicos de silicone para proteger o mamilo, ordenhar o leite e oferecer na mamadeira, podem auxiliar a mãe com seios feridos. Mas não devem ser usados caso não haja necessidade. Estes objetos confundem o bebê e ele percebe que tem um jeito mais fácil de se alimentar, sem ter que sugar (com força). E assim, pode se desinteressar e desmamar precocemente.

Nessa fase de bebê recém nascido em casa, a doação é integral e a amamentação acaba nos obrigando a pausar, pensar, refletir, acalmar.

Sentimos a respiração deles e a nossa. Vem o suspiro… E como não suspirar… SER MÃE É UM GRANDE SALTO DE PARAQUEDAS!

Aleitamento materno

Agosto foi eleito o mês Mundial da Amamentação. Amamentar é algo sonhado e idealizado pelas mães. O ato, apesar de parecer instintivo, exige preparação e paciência para não impulsionar o desmame precoce, ou seja, quando o bebê largo o peito antes dos seis meses. Cabe ressaltar que mesmo com a introdução alimentar, o leite materno melhora o sistema imunológico, auxilia na nutrição e ganho de peso e tem grande importância no aumento do vínculo entre mãe e filho.

Sendo assim, destacamos algumas dicas sobre amamentação.

  • PREPARE-SE DURANTE A GESTAÇÃO

O aleitamento não é algo que acontece instintivamente após o parto. É um desafio e as mulheres precisam se preparar e entender o manejo clínico de amamentar. Tem que aprender como esvaziar a mama, as posições (tanto da mãe quanto do bebê), como cuidar da mama para evitar fissuras, mastite, leite empedrado, etc. Atualmente, existem vários cursos online, sites e blogs dedicados ao assunto, além de livros.

Mãe, não ache que será um processo fácil: ” Ah é só colocar no peito e pronto!”

Será necessário auto conhecimento, doação, disposição e resiliência. Amamentar é um aprendizado diário para mãe e bebê.

  • BEBA BASTANTE ÁGUA, ALIMENTE-SE BEM E DESCANSE

Quanto mais o bebê mamar, maior será sua produção de leite. Peito é fábrica e não estoque. Por isso, LIVRE DEMANDA! Para que se tenha uma boa produção de leite materno ingerir bastante água (mínimo de 4 litros por dia) e alimentar-se bem. Alimentação colorida e variada, rica em legumes, verduras, frutas e proteínas.

Também é fundamental que a mãe descanse. Sabemos que pode ser difícil, mas: bebê dorme, mamãe também dorme!

  • A PEGA CERTA DO SEU BEBÊ

É fisiológico, é natural, mas a mãe precisa ser orientada. Um bebê que pega bem estimula mais a produção. Se a pega não for correta, a mãe pode desenvolver fissuras, mastite, dor, medo de amamentar. Se isso não for cuidado, eu bebê vai mamar menos, seu medo de sentir dor vai aumentar e consequentemente o desmame precoce pode ocorrer.

  • ACREDITE EM VOCÊ

A autoestima da mãe é o principal combustível para obter sucesso na amamentação. Acredite que você é capaz de produzir leite e que o seu leite é o melhor para o seu filho. O sugar do bebê e o bem estar da mãe ajuda na liberação da ocitocina (hormônio que auxilia no aumento da produção de leite materno). Os primeiros 30 dias são um caos para todas nós, mas depois a amamentação é apaixonante.

  • NEM TODO CHORO É FOME

Nem sempre o bebê chora porque está com fome. Pode ser frio, calor, excesso de luz, de barulho, tudo é novo para ele. Não existe leite fraco, seu leite é o alimento perfeito para o seu bebê. Lembre-se que o estômago do bebê é pequeno e ele vai mamar em pequenos intervalos de tempo.

Bebê chora! Chora porque quer aconchego, seja no colo, no peito, quer AMOR EM LIVRE DEMANDA!

  • APOIO DO COMPANHEIRO E DA FAMÍLIA

Se seu companheiro (a) apoia a amamentação o sucesso dela aumenta e muito. Se a avó, a tia, a madrinha e quem mais puder, estiver por perto melhor ainda. Seja para colocar o bebê para arrotar, seja para levar água para a mãe, seja para fazer a comida, lavar a roupinha, deixar a mãe descansar. Amamentação desgasta, a mãe precisa de carinho,  ajuda, aconchego, amparo.

  • EVITE “EQUIPAMENTOS” QUE CONFUNDAM O BEBÊ

Bicos de silicone para proteger o mamilo, ordenhar o leite e oferecer na mamadeira, podem auxiliar a mãe com seios feridos. Mas não devem ser usados caso não haja necessidade. Estes objetos confundem o bebê e ele percebe que tem um jeito mais fácil de se alimentar, sem ter que sugar (com força). E assim, pode se desinteressar e desmamar precocemente.

Nessa fase de bebê recém nascido em casa, a doação é integral e a amamentação acaba nos obrigando a pausar, pensar, refletir, acalmar.

Sentimos a respiração deles e a nossa. Vem o suspiro… E como não suspirar… SER MÃE É UM GRANDE SALTO DE PARAQUEDAS!

Scroll Up