Blog

Como Suprir Minhas Necessidades de Cálcio sem Consumir Laticíneos

por: Ellen Maurat Prata – Nutricionista

O cálcio é o principal nutriente associado à saúde óssea, mas não é o único. Para que ocorra uma boa formação (mineralização óssea) organismo precisa de vários minerais e vitaminas: magnésio, zinco, manganês, potássio, boro, vitaminas K, D e C, silício e ômega-3.

A alimentação deve ser a mais variada possível para que o organismo possa obter todos os nutrientes necessários. As folhas verde-escuras são grandes alimentos para nossos ossos: couve, rúcula, espinafre, agrião e chicória, unem em sua composição praticamente todas as vitaminas e minerais importantes para a saúde dos ossos, principalmente cálcio, magnésio e vitaminas K, C e E. Ao contrário do que acontece com os laticínios, o cálcio dos alimentos de origem vegetal tem maior biodisponibilidade, ou seja, é de mais fácil absorção.
As nozes, castanhas e as sementes como gergelim e girassol, cereais integrais como aveia e quinoa, também contém boas quantidades deste importante mineral, além do zinco, magnésio e silício. A sardinha, bem acessível financeiramente, é um peixe riquíssimo em ômega-3.
Devemos nos preocupar com a ingestão do cálcio não só não infância quando os ossos e dentes estão em formação e crescimento, mas também na idade adulta. Após os 35 anos, começamos a apresentar redução da densidade óssea, portanto devemos dar atenção maior a esses alimentos e nutrientes para evitarmos problemas como a osteopenia (densidade óssea fica menor que o normal, mas os ossos continuam mineralizados, antecede a osteoporose em alguns casos) e a osteoporose (densidade óssea muito diminuída com alterações na estrutura óssea, como se fossem poros, o que aumenta o risco de fraturas).
Verificamos que uma boa alimentação desde a infância pode nos prevenir de problemas futuros, mas o adulto também deve ficar atento às transformações que seu organismo passará ao longo dos anos. Nada adiantará uma alimentação rica, não só em cálcio, mas em todos os nutrientes na infância, se na vida adulta tal hábito não se mantiver.

 

Scroll Up