Blog

Brinquedos e Brincadeiras

O brinquedo e o brincar faz parte da infância nas mais diversas culturas e desde os tempos mais remotos. É difícil conceber a infância sem brinquedos, companheiros fundamentais para o desenvolvimento emocional, cognitivo, motor e social da criança. Quando crianças desprovidas de bens materiais usam com criatividade os recursos que o ambiente oferece e fazem a meia virar bola, a lata virar tambor, a caixa de fósforos virar carrinho, nos mostram a imperiosa importância e necessidade do brinquedo e da brincadeira na infância.

Em tempos de forte apelo para o consumo, é válida a reflexão: as nossas crianças têm gostado mais de brincar ou de ganhar brinquedos? A propaganda é maciça, invasiva, apelativa e apresenta as mais incríveis novidades todo o tempo. Nesse contexto, é comum verificarmos que a intensa satisfação da criança na hora da compra em pouco tempo vai embora. Ela se esquece rapidamente do novo brinquedo e logo um outro passa a movimentar o seu desejo: eu quero aquele!

É relevante pensarmos sobre a tendência atual do acúmulo de brinquedos, o que nem sempre resulta em benefício para a criança e pode, inclusive, representar um impacto no orçamento de muitas famílias. A quem estamos atendendo, às necessidades da infância ou à pressão do consumo? As nossas crianças estão, de fato, brincando, tendo tempo de descobrir, explorar e até se apegar a um brinquedo ou estão encantadas apenas com a quantidade e a variedade? E o tempo precioso que os eletrônicos vêm ocupando na vida dos nossos filhos em detrimento ao contado criativo e amoroso com os demais brinquedos, amigos e até conosco?

É importante construirmos desde cedo o hábito de separar brinquedos em bom estado e que a criança não use mais, para doação ou troca. Se a criança é muito pequena e não pode ainda realizar essa ação, os pais podem fazer a seleção assim como fazem com suas roupas e demais objetos, até que ela possa participar também. Outra atitude muito saudável é o movimento de consertar brinquedos queridos que estejam danificados. A mensagem presente nesse gesto é extremamente importante para a criança, tanto do ponto de vista emocional quanto da formação de uma cultura de sustentabilidade: as coisas podem e devem ser recuperadas; e que alegria ao ver o brinquedo renovado!

Fica a dica: há inúmeras brincadeiras que prescindem até do próprio brinquedo e costumam resultar em momentos riquíssimos para a criança. Que tal brincar com nossos filhos de esconde-esconde, cabana feita com lençol, cabra-cega, mímica, adivinhas, caça ao tesouro, preparar comida, dançar, contar histórias da nossa infância, rever álbuns antigos da família…. Difícil saber quem vai se divertir mais: pais ou filhos!

por Gilza Quadros – Psicóloga

Scroll Up